Chemyunion PHI 0820
Visit Us On TwitterVisit Us On FacebookVisit Us On LinkedinVisit Us On Instagram
Pharma InnovationMedicamentos VarejoPandemia faz venda de vermífugos e antiparasitários dispararem em farmácias brasileiras

Pandemia faz venda de vermífugos e antiparasitários dispararem em farmácias brasileiras

  • Written by:

O período de isolamento social imposto pela pandemia do novo coronavírus provocou uma corrida por determinados medicamentos.

Em junho, os medicamentos da classe terapêutica dos anti-helmínticos, utilizados no tratamento de diferentes parasitoses, saltaram para 14%, ante 2% no mesmo mês dos dois anos anteriores. O dado provém do levantamento realizado pela Linx, líder e especialista em tecnologia para o varejo, em parceria com a Fundação Getúlio Vargas (FGV IBRE), a partir da coleta de dados das vendas de medicamentos em farmácias de junho dos últimos três anos (2020, 2019 e 2018).

O aumento pode ter sido consequência da busca pela Ivermectina, apesar da falta de comprovação científica para o uso. No geral, esta classe terapêutica cresceu mais de 10% em representatividade em comparação com os anos de 2018 e 2019.

A segunda classe mais vendida no período, com 12% de representatividade, foi a de anti-reumáticos, como a Hidroxicloroquina, e antiinflamatórios não esteroidais, como o Ibuprofeno. Empatados em segunda posição, também com 12%, estão os analgésicos e antipiréticos, como Dipirona sódica e Paracetamol, medicamentos antitérmicos que são utilizados no tratamento dos sintomas do Covid-19.

Pandemia influencia comportamento regional

Os paulistas foram os que tiveram o maior gasto em farmácias, com 32,2% de importância relativa em faturamento nacional, seguido pelo Rio de Janeiro, com 10,2%; Minas Gerais, com 8,8%; e Rio Grande do Sul e Paraná, ambos com 6,4%. Os medicamentos do tipo genérico foram os mais vendidos, com pouco mais de 38% do total, uma alta de 8% em relação a junho de 2019.

O ticket médio nacional em junho de 2020 representou a faixa de consumo de até R﹩50,00, com crescimento de 3,62% em relação ao mesmo mês do ano passado. Entre 2019 e 2018, no entanto, o salto foi de 20,25%.

Os dados foram obtidos a partir da análise de mais de 164 milhões de produtos farmacêuticos, sendo mais de 85 milhões de notas de compra, comparando os meses de junho nos últimos três anos.

Comments are closed.

Parceiros