Grace Mai/21
Visit Us On TwitterVisit Us On FacebookVisit Us On LinkedinVisit Us On Instagram
Pharma InnovationRadarMinistério da Saúde investe R$ 20 milhões em inovação na produção de fármacos e biofármacos

Ministério da Saúde investe R$ 20 milhões em inovação na produção de fármacos e biofármacos

  • Written by:

Parceria com a Embrapii contribuirá para o fim da dependência externa na produção de medicamentos ao SUS

Mais inovação e independência na produção de medicamentos como fármacos e  biofármacos para o Sistema Único de Saúde (SUS) serão incentivadas por uma parceria entre o Ministério da Saúde (MS)e a Empresa Brasileira de Pesquisa e Inovação Industrial (Embrapii).

Com o investimento de R$ 20 milhões, serão credenciados quatro novos grupos de pesquisa para o desenvolvimento nacional de fármacos e biofármacos realizados em parceria com a indústria.

Por meio de uma chamada pública lançada em cerimônia na última quarta-feira (21), os grupos de pesquisa selecionados serão credenciados, então, como Unidades Embrapii.

E, dessa maneira, poderão também inovar com as empresas do setor farmoquímico.

Dessa maneira, a iniciativa deve alavancar recursos privados em inovação, uma vez que o modelo de atuação prevê o investimento do setor empresarial.

Todavia, o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, destacou a importância de desenvolver uma indústria flexível e também  autônoma de pressões externas para gerar soluções brasileiras na área.

De acordo com ele, o Brasil passou, então, a importar mais produtos de saúde nos últimos anos.

O valor aumentou 10%. Foi de US$ 12,3 bilhões em 2015 para US$ 13,7 bilhões em 2020.

“Temos que desenvolver no Brasil um forte complexo industrial de saúde. O nosso país deu um passo gigante ao criar o Sistema Único de Saúde (SUS) em 1988. Trata-se do maior sistema de acesso universal, integral e gratuito do mundo e isso não pode existir sem que tenhamos um desenvolvimento do complexo de indústrias que produzam insumos de saúde”, disse Queiroga.

A ação é estratégica para o Ministério que investe fortemente em pesquisa e tecnologia em áreas fundamentais do sistema de saúde.

Independência industrial

O ministro Queiroga reforçou que esta é a orientação do presidente Jair Bolsonaro: ser independente, gerar emprego e renda.

“Nosso objetivo é que o Brasil se consolide como um grande líder nas Américas e no mundo. Reforço o compromisso perene do Ministério com o investimento na pesquisa e o fortalecimento do SUS”, disse.

Na cerimônia, o secretário de Ciência, Tecnologia, Inovação e Insumos Estratégicos em Saúde (SCTIE), Hélio Angotti, ressaltou que o SUS é dinâmico e que por isso segue em busca de aprimoramento.

“Os investimentos em saúde e pesquisa seguem fortes no Brasil por intermédio dos Ministérios e são uma prioridade para o nosso governo. A crise nos força a buscar inovações e transformações. Nessa busca, nunca é demais reforçar a importância do nosso complexo de indústrias que geram emprego e renda”, afirmou.

Para se inscreverem na seleção da produção de fármacos e biofármacos, os grupos devem atuar em pelo menos uma das seguintes áreas:

♦ Descoberta de novas moléculas e princípios ativos, desenvolvimento de IFA, biologia molecular aplicada a produtos terapêuticos.

♦ Anticorpos monoclonais, proteínas terapêuticas.

♦ Kits diagnósticos..

♦ Sistemas de liberação controlada de fármacos.

♦ Implantes incorporados com fármacos.

♦ Manufatura aditiva de produtos para saúde incorporados com fármacos.

♦ Ensaios pré-clínicos.

♦ Ensaios clínicos fase I.

♦ Produção de hemoderivados.

 

 

 

 

 

Fonte: Guia da Farmácia 22.07.2021

Comments are closed.

Parceiros