Visit Us On TwitterVisit Us On FacebookVisit Us On LinkedinVisit Us On Instagram
Pharma InnovationRadarQual o cenário dos Insumos Farmacêuticos Ativos (IFA) no Brasil?

Qual o cenário dos Insumos Farmacêuticos Ativos (IFA) no Brasil?

  • Written by:

Os insumos farmacêuticos ativos consistem nos principais produtos para a criação das vacinas. Eles são responsáveis pela atividade farmacológica da vacina ou de qualquer outro tipo de medicamento.

 Assim, é importante destacar que no caso da CoronaVac o insumo é o vírus inativado. Já na vacina produzida pela Oxford, o adenovírus foi modificado geneticamente para conseguir carregar uma sequência genética do Sars-Cov-2.

Desse modo, são os insumos que vão enganar o nosso corpo para produzir anticorpos. Eles vão reagir quando o corpo for contaminado pelo vírus. Saiba que os outros componentes presentes na vacina são conhecidos como excipientes e, também, são importantes para a eficácia da vacina.

Nesse sentido, continue a leitura e saiba qual o cenário dos insumos farmacêuticos ativos no Brasil!

Qual o cenário atual dos insumos farmacêuticos no Brasil?

A pandemia deixou claro o cenário de dependência de produtos no Brasil. A indústria farmacêutica do país depende muito dos insumos farmacêuticos importados. Hoje em dia, a maioria dos insumos ativos precisam ser adquiridos de diversos fornecedores fora do país.

Para que o cenário melhore, é importante estabelecer uma estratégia pública para reduzir significativamente a dependência de produtos essenciais para o bem-estar da sociedade brasileira. É preciso aperfeiçoar a capacidade tecnológica e produtiva da área.

Diante dessa situação, o país desde o começo da pandemia se viu em situação complicada por causa da dependência dos insumos. Dessa forma, um colapso no fornecimento e na produção da China e da Índia ocasionou a perda de muitas vidas pela ausência desses insumos.

No Brasil, a situação é ainda mais complicada, visto que faltam muitos insumos farmacêuticos para o tratamento de distúrbios do sistema nervoso central e para intubação. Isso acaba prejudicando a saúde da população. Os desafios poderiam ser evitados com investimento nas indústrias locais e na capacitação de mais profissionais.

No Brasil ainda não existe um projeto em curto prazo que vise mudar essa realidade, isso faz com que se torne cada vez mais difícil a produção da vacina que vai reduzir a contaminação do vírus que assola todo o mundo. Essa dependência de insumos acaba afetando o desenvolvimento do país como um todo.

Quais os motivos pro Brasil continuar tão dependente da importação de insumos e tecnologia?

O Brasil é dependente da importação de insumos e tecnologia porque não apresenta estratégias e ações efetivas para mudar a realidade. Isso faz com que os empreendedores fiquem dependentes de produtos de outros países e atrapalha a sua produção.

Esse problema se agravou de forma significativa na pandemia, pois foi necessário reduzir a produção de diversos produtos no país, assim muitas empresas brasileiras ficaram sem insumos para produzir os produtos de maiores necessidades para a população.

Existem muitas indústrias brasileiras que conseguem satisfazer os anseios das organizações farmacêuticas, mas é preciso que tenha um incentivo governamental para que a produção seja aperfeiçoada. Diante de todos os desafios enfrentados pelo país, ficou clara a necessidade e a urgência de investir nas indústrias de base do país.

Quais os principais desafios da área de insumos farmacêuticos ativos?

Uma das maiores dificuldades para a produção da vacina contra o Covid-19 é a matéria prima, pois o país não apresenta fabricação própria de insumos farmacêuticos ativos, assim ele acaba ficando vulnerável ao cenário internacional.

Ter insumos para a elaboração da vacina é um desafio, mas nesse momento é fundamental para o combate à pandemia que se agrava nas regiões brasileiras. Mas o Instituto Fiocruz e o Butantan trabalham na fabricação desses importantes insumos, para isso está sendo preciso a ajuda de alguns parceiros internacionais.

Ainda falta um longo caminho para que o país consiga ter mais autonomia na fabricação dos insumos utilizados pelo Sistema Único de Saúde (SUS) e rede privada, o que representa um grande problema para a saúde pública do país. Muitos medicamentos precisam desses insumos, como os antivirais, analgésicos, oncológicos, antibióticos, anti-hipertensivos, entre outros.

As fábricas do país têm capacidade para produzir insumos para o tratamento de muitas doenças. Porém, ainda falta uma promoção de uma política pública eficiente para a produção local, a capacitação de colaboradores e a verticalização da cadeia de produção e, desse modo, assegurar para o Sistema de Saúde a disponibilidade de medicamentos.

Se o país tivesse investido mais na estrutura de insumos farmacêuticos ativos, ele não estaria tão dependente de fornecedores externos para a elaboração da vacina para combater a pandemia. Assim, é fundamental que os governantes trabalhem de forma efetiva nessa área para conseguir melhorar os resultados.

Dessa maneira, é fundamental investir em capacitação financeira e técnica, inovação, parceria com empresas que lideram a área, entre outras ações. Essas práticas já deveriam ter sido colocadas em prática há muito tempo, assim o país não estaria passando pela falta de insumos ativos para a produção em larga escala da vacina contra o coronavírus.

O Brasil sempre teve dificuldade na produção de insumos?

O avanço da ciência brasileira esbarra em dificuldades históricas quando o tema é inovação tecnológica, principalmente na área da saúde. Sendo que o desafio começou a partir do século XIX. A indústria farmacêutica brasileira foi criada a partir de interesses pessoais.

Nesse contexto, ela surgiu sem dar muita atenção ao domínio de patentes. Tanto que no início era recorrente a indústria brasileira lançar no mercado itens criados pelos Estados Unidos. Contudo, a pesquisa e o desenvolvimento de produtos continuavam nas matrizes de corporações transnacionais. Com isso, a indústria do país se especializou em copiar os medicamentos estrangeiros, tendo uma base muito frágil e conhecimento técnico restrito.

Atualmente, as coisas melhoraram, mas ainda apresenta muitos problemas que precisam ser solucionados o mais rápido possível, já que a sociedade precisa de avanços para continuar progredindo.

Portanto, as indústrias de insumos farmacêuticos ativos precisam melhorar sua produção para que a população tenha uma saúde de qualidade. A China e os Estados Unidos são exemplos de países que apresentam uma produção eficiente dos seus insumos — o Brasil pode se basear neles para conseguir deixar o seu parque industrial mais otimizado. Assim, é possível mudar a realidade que assola o país.

 

 

 

 

Fonte: TalkScience 05.05.2021

Comments are closed.

Parceiros