Grace Mai/21
Visit Us On TwitterVisit Us On FacebookVisit Us On LinkedinVisit Us On Instagram
Pharma InnovationCiência & TecnologiaEstudo da UFMG abre caminho para tratamentos menos agressivos contra o câncer de pele

Estudo da UFMG abre caminho para tratamentos menos agressivos contra o câncer de pele

  • Written by:

Pesquisa identificou que a manipulação do sistema nervoso pode ser um caminho para encontrar novos tratamentos para o melanoma

Um estudo coordenado pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), publicado por uma rede de pesquisadores, identificou que a manipulação do sistema nervoso pode ser um caminho para encontrar novos tratamentos para o melanoma, o tipo mais agressivo de câncer de pele.

A conclusão é de um trabalho realizado por cientistas da UFMG, do Hospital Sírio-Libanês, da Universidade de São Paulo, da Universidades Federal do Oeste da Bahia, da Federal de Goiás e colaboradores internacionais.

a saber, essas células são responsáveis, por exemplo, pelo paladar e o tato.

Enquanto aqueles camundongos que tiveram os neurônios desativados apresentaram avanço maior do melanoma.

A manipulação do sistema nervoso foi realizada por meio, então, da aplicação de drogas e modificações genéticas nos animais.

Tratamentos mais confortáveis

O coordenador do estudo, professor Alexander Birbrair, do Instituto de Ciências Biológicas da UFMG, explica que o resultado abre caminho para possíveis novos tratamentos contra o câncer de pele que sejam, então, menos desconfortáveis para os pacientes.

O câncer de pele é o mais frequente no Brasil, de acordo com o Instituto Nacional do Câncer (Inca).E o melanoma ocorre em 3% dos casos malignos. É o tipo mais grave da doença, devido à sua alta possibilidade de provocar metástase, a disseminação para outros órgãos.

Outros tipos de câncer

O próximo passo dos pesquisadores é, dessa maneira, analisar se o mesmo método tem efeitos contra o câncer de mama, de próstata e de pulmão.

Serão realizado, então,  testes também em camundongos. Portanto, o objetivo é, futuramente, também conduzir testes em seres humanos.

 

 

 

Fonte: Guida da Farmácia 23.11.2021

Comments are closed.

Parceiros