Visit Us On TwitterVisit Us On FacebookVisit Us On LinkedinVisit Us On Instagram
Pharma InnovationEmpresas & Negócios RadarAs 10 indústrias farmacêuticas que mais investiram em P&D em 2019

As 10 indústrias farmacêuticas que mais investiram em P&D em 2019

  • Written by:

As dez principais indústrias farmacêuticas que mais contribuíram em pesquisa & desenvolvimento em 2019 investiram US$ 82 bilhões na busca por novos medicamentos, diagnósticos e vacinas, cerca de US$ 4 bilhões a mais do que no ano anterior.

O levantamento é da consultoria EvaluatePharma. A oncologia é categoria terapêutica que mais recebeu aportes. Porém, 2020 tem sido marcado pela corrida por uma vacina contra a Covid-19.

1 – Roche

A Roche está enfrentando um momento desafiador, com o lançamento de três biossimilares: Avastin, Rituxan e Herceptin. Outro grande campeão de vendas, o medicamento para doenças oculares Lucentis, também deve perder a proteção de patentes este ano. Até o fim de 2019, havia 72 novas entidades moleculares no pipeline da companhia.

2 – Johnson & Johnson

A Johnson & Johnson segue com investimentos vultosos, mas distribuídos por várias operações, como produtos farmacêuticos, saúde do consumidor, diagnósticos e dispositivos médicos. A Covid-19 será um fator importante para a companhia em 2020, principalmente porque ela prometeu até US$ 1 bilhão em investimentos em uma potencial vacina, que poderia ser aprovada para uso emergencial no início de 2021.

3 – Merck Sharp & Dohme (MSD)

Os gastos em pesquisa e desenvolvimento da Merck Sharp & Dohme (MSD), que estão entre os mais elevados em proporção às vendas, refletem os estudos sobre o anticancerígeno Keytruda (pembrolizumab), que é o motor do crescimento atual da companhia.

4 – Novartis

A Novartis conseguiu seis novas aprovações, dando um salto gigantesco em sua promessa de lançar 25 medicamentos nos próximos anos. O grande destaque do ano foi a aprovação do Zolgensma (onasemnogene abeparvovec) para atrofia muscular espinhal.

5 – Pfizer

2019 foi um ano de transição para a Pfizer, com o CEO eleito Albert Bourla  encarregado de supervisionar a reformulação da empresa, focada em medicamentos inovadores. A aliança com a BioNTech para o desenvolvimento de uma vacina contra o coronavírus está na fase de testes clínicos e a expectativa é viabilizar a produção em larga escala até o fim do ano.

6 – Sanofi

A Sanofi vem atuando para fortalecer unidades como oncologia e outras áreas de atendimento especializado. A companhia também está se mobilizando contra o coronavírus, ao testar seu medicamento para artrite reumatoide Kevzara contra complicações da Covid-19 e avançando em dois projetos de vacinas, em parceria com a GlaxoSmithKline (GSK) e a Translate Bio.

7 – AbbVie

A AbbVie tenta expandir seu pipeline impulsionado pelos US$ 20 bilhões movimentados por um medicamento contra a artrite reumatoide. Trata-se do Humira (adalimumab), que se aproxima do fim da patente em 2023. Também é provável que a companhia suba no ranking com o fechamento da compra da Allergan, por US$ 63 bilhões.

8 – Bristol Myers Squibb

O fato mais relevante da Bristol Myers Squibb no ano passado foi sua megafusão com a Celgene, concluída em novembro após quase um ano de negociações. A companhia começou 2020 como a quarta maior empresa farmacêutica em vendas, com seu portfólio focado em terapias para o câncer de sangue – por meio do Revlimid (lenalidomida) e do Pomalyst (pomalidomida).

9 – AstraZeneca

O investimento em pesquisa e desenvolvimento da AstraZeneca foi marcado pela concretização dos testes do  Lynparza, remédio produzido em parceria com a Merck e que combate o câncer de próstata. Neste ano, a indústria está desenvolvendo uma vacina em parceria com a Universidade de Oxford, que será também aplicada em caráter experimental no Brasil.

10 – GlaxoSmithKline (GSK)

A GlaxoSmithKline (GSK) (GSK) registrou três aprovações de produtos e oito registros regulatórios para novos remédios, além de confirmar seis leituras positivas de medicamentos em estudos fundamentais. A empresa também deu início à formação de uma joint venture de saúde do consumidor com a Pfizer, que permitirá que a GSK se concentre em pesquisa e desenvolvimento de medicamentos inovadores.

 

 

 

 

 

 

 

 

Fonte: Panorama Farmacêutico 27.06.2020

Comments are closed.